Home / Sessão / Criação do Proerd é lembrada em sessão

Criação do Proerd é lembrada em sessão

Em uma sessão tripla – ordinária e duas extraordinárias – os vereadores de União da Vitória aprovaram o envio de uma Moção de Aplausos ao Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd). Os 20 anos do projeto foi o mote da homenagem assinada pelo vereador Almires Bughay e Emerson de Souza, compartilhada pelos demais parlamentares.

“O programa leva prevenção para as cidades. Estamos vendo o que está acontecendo com os nossos jovens, por isso o Proerd é tão importante. A Polícia Militar é dinâmica e tamanho foi o trabalho do programa que foi preciso criar o Batalhão Escolar, com sede em Curitiba e com cinco companhias pólos no Estado. Parabenizo a todos, porque ninguém faz nada sozinho”, disse Bughay.

O Proerd nasceu em 1983, nos Estados Unidos. Veio para o Brasil nos anos 90 e desde 2000, é aplicado no Paraná e também em União da Vitória. No Estado, um milhão e oitocentas mil crianças concluíram a capacitação. Apenas em União, são mais de 20 mil jovens formados. O programa foca no trabalho de construção de “bons cidadãs, e conseqüentemente, na construção de uma sociedade melhor”.

“Parabenizo a Moção e a Polícia Militar. Estão realmente de parabéns. Imagine como seria a situação sem o Proerd? É um trabalho importante demais. Ele tira nossas crianças e jovens da área das drogas”, endossou o vereador, César Empinotti, na Palavra Livre.

Palavra livre e pauta

Na Palavra Livre, os vereadores abordaram diferentes assuntos. Um deles, porém, compartilhado por mais de um deles. Trata-se da instalação do projeto Meu Campinho, um espaço para a prática de esporte e recreação construído nos municípios com recursos do Governo do Estado. Sobre ele, os vereadores Jair Brugnago, Valdecir Ratko e a vereadora, Alandra Roveda, falaram. Conforme os parlamentares, serão duas versões do Meu Campinho: na área do Conjunto Horts Waldraff e no bairro São Gabriel.

Já sobre um novo aporte feito para a área da saúde no município, falou o vereador Gilmar Pogogelski. O vereador elogiou a deputada federal pelo PV, Leandra Dal Ponte. “Ela é atuante e para a cidade, já enviou quase R$ 1 milhão”, afirmou.

Entrou no expediente, ainda, o Projeto de Lei Ordinária número 3, de 2020, assinada pelo presidente da Casa, Ricardo Sass. Ele propõe o “batismo” da Casa do Artesão, espaço que ficará na praça Coronel Amazonas, como Ernest Daniel Bieberbach. O pintor alemão, autodidata, assina grandes intervenções artísticas no Vale do Iguaçu, como a pintura da Catedral, em União da Vitória, e as paredes internas do Castelinho, em Porto União.

Extras

Imediatamente em seguida da sessão ordinária, duas reuniões extraordinárias foram realizadas. A primeira, para discutir o Projeto de Lei Ordinária número 17, de 2020. Ele fala sobre a desapropriação de um imóvel na região onde está sendo construída a ponte José Richa. O documento foi aprovado.

Na segunda reunião, a Casa aprovou o Projeto de Lei Ordinária número 10, de 2020, que elabora a Lei Orçamentaria para 2021.

Fotos: CMUVA

 

Veja Também

Casa do Coronel Amazonas será restaurada

Além do presidente da Casa, Ricardo Sass, os vereadores Jair Brugnago e Valdecir Ratko falaram …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *