Home / Sessão / Associação Autismo sem Barreira é declarada como Utilidade Pública

Associação Autismo sem Barreira é declarada como Utilidade Pública

“Em 1975, nascia um autista para cada 50 mil crianças. Neste ano, os dados mostram que é uma criança a cada 59”.

Essa foi uma das informações apontadas na tribuna pela presidente da Associação Autismo Sem Barreira, de União da Vitória, Elenice Farias de Souza. Ela fez uso do espaço na noite desta segunda-feira, 22, na sessão que terminou com a aprovação unânime do projeto que transforma a entidade em Utilidade Pública.

“É mais uma vitória. Estamos em parceria com a Apadaf, com a prefeitura e agora com a Utilidade Pública, isso faz com que as empresas pensem em investir na associação, vai ajudar no pagamento da terapia. Nosso sonho é ter nossa sede, andar com nossas pernas”, disse.

A entidade vem crescendo a passos largos e conquistando avanços. Entre eles, está a confecção da carteirinha do autista, a formação de uma entidade composta por mães de crianças e até adultos com o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e agora, a transformação da entidade em Utilidade Publica.

“Com isso a Associação poderá receber verba pública, assinar convênios para receber recursos. Isso vai ser muito bom. Eles clamam por terapias, e isso tem custo. A gente sabe que os deputados, por exemplo, tem as emendas e parte delas é para a saúde. A Associação vai conseguir caminhar”, disse o vereador Diego dos Santos, autor do Projeto de Lei número 1, de 2020, de declaração da entidade como Utilidade.

Hoje, a Associação reúne 46 mães de autistas. “Temos mãe de gêmeos, de crianças e de adultos, mães de autistas com grau leve e severo”, explicou Elenice.

Em pauta

A noite ainda reuniu informações no plenário sobre a Covid-19 e Plano Diretor, assuntos abordados no espaço da Palavra Livre por alguns vereadores.

Sobre o Plano, por exemplo, o vereador Jair Brugano lembrou do encontro realizado horas antes da sessão, ainda na manhã de segunda-feira. O assunto também esteve na redação da pauta da sessão, em uma comunicação da presidência.  Mais cedo, o prefeito Santin Roveda e o vice- Bachir Abbas, acompanhado de alguns secretários municipais, estiveram no plenário da Câmara. Santin pediu a participação do Legislativo na elaboração do novo documento, material que estrutura o desenvolvimento da cidade, balizando o que pode e o que não pode ser feito em matéria de construção, obras, pavimentação e exploração de áreas ambientais. Para ajudar os vereadores na idealização, um mapa foi deixado pela equipe de Planejamento. Ele permite anotações e sugestões.

Ainda na Palavra Livre, Gilmar Pogogelski endossou o pedido colocado na pauta: o patrolamento na antiga estrada de Palmas. “A via necessita de cuidados o quanto antes, pois a trafegabilidade no local apresenta-se de forma extremamente difícil de ser realizada”, justificou.

Já Almires Bughay, antecipou um assunto que terá desdobramento por ele na próxima reunião:  a comemoração dos 20 anos do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, o Proerd. “Na próxima semana, vamos encaminhar um Requerimento enaltecendo o trabalho dos militares já há 20 anos. O Proerd começou no Paraná no ano 2000 e União da Vitória foi um dos primeiros municípios contemplados na época”.

Valdecir Ratko também aproveitou este espaço. Entre outros assuntos, o parlamentar destacou a presença de Elenice na tribuna e o trabalho da entidade. “Se não fosse as mães, não chegaria a este ponto. Quero também apresentar um projeto para ceder um terreno para a construção da Associação”.

Sobre a Covid, a pauta incluiu a leitura do Decreto número 239, de 2020, assinado na semana passada e com validade desde o dia 19. E foi sobre o novo coranavirus que de maneira remota, a vereadora Pastora Sandra falou no espaço da Palavra Livre. Ela falou sobre os recentes números confirmados da Covid-19 na cidade. “Por isso precisamos estar dentro das diretrizes que são nos passada e que termine logo essa pandemia. Até lá, que as pessoas possam seguir as orientações que são repassadas”.

O presidente da Casa, Ricardo Sass, por motivos particulares não pode estar presente a sessão. Assim, a reunião foi conduzida pela vice-presidente do Legislativo, a vereadora Alandra Roveda.  A vereadora seguindo o tema da Covid, falou mais no encerramento da sessão. “Estamos no caminho certo, temos uma administração transparente e temos que passar a pandemia da melor forma possível. Não queremos que lá na frente, se tenha que fechar o comércio ou de outras normas ainda mais restritivas”.

LUTO

A Casa acolheu o envio de uma Moção de Pesar à família Waldraff, pelo falecimento da professora aposentada Úrsula Waldraff, esposa do empresário Horst Waldraff.  Ela faleceu na noite do sábado, dia 20, em Curitiba, aos 77 anos. Úrsula era esposa do empresário Horst Waldraff, da Comercial Bandeirante. Ela realizava tratamento e não resistiu às complicações de saúde. Professora aposentada, Úrsula exercia trabalho filantrópico no Vale do Iguaçu, integrando Lions Clube Porto União Caminho das Águas. Além disso, era artista plástica, membro da Associação Amadeu Bona. Além do companheiro de uma vida toda, Horst, Úrsula deixa três filhos e cinco netos.

SERVIÇO

Para saber mais sobre o trabalho da Associação Autismo Sem Barreira, basta entrar em contato com as representantes da entidade pela página do Facebook e pelos telefones, (42) 9 9946 9715 e 9 8866 8447.

Fotos: CMUVA

Veja Também

Casa do Coronel Amazonas será restaurada

Além do presidente da Casa, Ricardo Sass, os vereadores Jair Brugnago e Valdecir Ratko falaram …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *